Juíza de direito expõe farsa da “ressocialização” de criminosos

No último fim de semana, em suas redes sociais, a juíza de direito Ludmila Lins Grilo (já falamos dela aqui) escreveu um texto criticando a utopia da “ressocialização” de criminosos no Brasil, que não passaria de um inócuo fetiche acadêmico:

“A tal ‘ressocialização’ não passa de um fetiche histérico das altas rodas da intelectualidade tupiniquim: não é possível a reversão moral de um sujeito a partir de uma imposição burocrática.”

Utilizando como pano de fundo o caso do serial killer Lázaro, Ludmila chama a atenção à cultura do fingimento que permeia o assunto:

O Estado finge que ressocializa, o criminoso finge que virou anjo, e o professor universitário finge que acredita. É a famosa “cultura do fingimento”.

Confira o texto completo:

Para se aprofundar no tema:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.