Professor americano é acusado de receber dinheiro da China

Imagem: South China Morning Post

Mais um professor universitário americano é acusado pelo DOJ (Department of Justice, órgão de investigação e persecução americano) de receber dinheiro do governo chinês, pelo programa Thousand Talents.

O programa Thousand Talents (Mil Talentos) foi criado oficialmente pelo governo central da China (PCC) em 2008. O objetivo declarado do projeto é recrutar pesquisadores estrangeiros de alto nível para conduzirem pesquisas para o governo chinês, principalmente nas áreas de tecnologia e da indústria. O programa conseguiu ao longo dos anos recrutar muitos pesquisadores da Europa e, principalmente, dos Estados Unidos.

À primeira vista não parece haver nenhum problema com o programa em si, afinal de contas cada país é livre para fazer investimentos de pesquisa e desenvolvimento em diversos campos, inclusive contratando pesquisadores estrangeiros para isso. Mesmo nos Estados Unidos há um visto específico oferecido a estrangeiros que queiram desenvolver pesquisas (relevantes) por lá.

O problema começa a se desenhar quando se nota o tanto de infrações que o governo chinês é acusado de cometer quanto à propriedade intelectual. Uma primeira onda de acusações partiu de empresas que instalaram suas fábricas no país asiático visando usufruir da mão-de-obra barata, e acabaram vítimas de roubo de propriedade intelectual realizado por agentes infiltrados em suas indústrias.

Agora, ao que tudo indica, o Partido Comunista Chinês passou a uma próxima etapa do roubo de propriedade intelectual, recrutando pesquisadores estrangeiros para roubar segredos industriais fora da China. Em setembro de 2019 o DOJ indiciou um engenheiro sino-americano (Xiaoqing Zheng) e um empresário chinês (Zhaoxi Zhang) sob a alegação de “espionagem econômica e roubo de segredos comerciais” da companhia General Electric.

Foi noticiado aqui o caso do professor de Harvard Charles Lieber, acusado pelo mesmo DOJ de receber pagamentos do governo chinês enquanto, oficialmente, trabalhava na universidade americana.

No dia 8 de maio outro professor universitário americano foi preso pelo DOJ em circunstâncias similares. Desta vez foi Simon Ang, da Universidade do Arkansas, acusado de roubo de propriedade intelectual a mando do PCC. Além de trabalhar para a referida universidade, Ang também desenvolvia pesquisas para a NASA (Agência Espacial Americana).

No mesmo dia em que Ang foi preso outro pesquisador, Xiao-Jing Li, ex-professor da Universidade de Emory em Atlanta, confessou-se culpado por ter omitido receber dinheiro do programa Thousand Talents.

Com informações, The Patriot Post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.